5 maneiras de se preparar para ‘Gilmore Girls: A Year in the Life’

Ando sumida por um motivo: maratona de Gilmore Girls! Dia 25 já tá aí e nesse momento estou começando a 7ª temporada! 😀

Fonte: IMDb

Fonte: IMDb

Minha paixão pela família Gilmore não é de hoje. Só fui ter TV à cabo em casa depois que estava na faculdade, então quando estava na fase pré-adolescente/adolescente o jeito que tinha de ver seriados era na TV aberta mesmo. Lembro-me de passar vários sábados à tarde assistindo Tal Mãe e Tal Filha (nome que a série tinha no SBT) e Everwood. Domingo de manhã era dia de assistir The O.C. e Smallville.

Todo esse momento nostalgia proporcionado pela Netflix, que teve início no começo desse ano com Fuller House, merece um post especial, certo?

Pensando nisso, resolvi então fazer uma listinha (quem sou eu sem listas?) pra conter a ansiedade. São só cinco passos que sinto que farão com que esses dias passem voando.

Passo 1: Maratonar a série, ainda dá tempo. Calcule comigo: são 153 episódio divididos em 7 temporadas. As temporadas em média tem 22 episódios, certo? Considerando uma média de 40 minutos por episódio (são um pouquinho mais, mas depois isso compensará na conta).
Se você assistir em sequência é possível ver 3 episódios em 2 horas (2 horas = 120 minutos, 40×3=120), ou seja, é possível ver meia temporada em um dia (com 8 horas de dedicação, claro | 1,5 episódio por hora x 8 = 12), em 14 dias é possível terminar a tempo. 😉

Não anima? Tudo bem, a Netflix resumiu cada temporada em vídeos de 1 minuto

Passo 2: Que tal Pop Tarts caseiras?
As rainhas do junkfood, vão invejar a sua disposição em fazer esse doce americano, que elas amam a propósito. São poucos ingredientes, nem é tão difícil de fazer e o recheio vai da sua criatividade/orçamento/animação.

Passo 3: Esse produtinhos da série pra levar com você o tempo todo. Estas são algumas das coisas legais que eu achei por aí: moletons fofos que tem lá na Oba! Shop (nunca comprei lá, mas me parece confiável, tem camisetas, bottons e ecobags também), essa camiseta fofa na Chico Rei (tem a caneca também, já comprei lá um monte de vezes e nunca tive problemas graves) ou ainda essa capa de livro da Cheia de Fusquinha (já estou encomendando a minha).

Passo 4: Ouvir a melhor playlist dos últimos tempos (que eu descobri graças à Luísa, obrigada). Foi feita pela Warner em 2015 e só tem amor. É ótimo pra ficar lembrando das cenas em que as músicas aparecem.

Passo 5: Por último e mais importante: tome café! Fã que é fã sabe que nas veias das Lorelais não corre sangue e sim café. Pra facilitar a vida o vídeo abaixo ensina como fazer (estilo americano, ou seja, é quase uma bacia de café, rs) pois nunca se sabe, né?

BÔNUS ROUND!

Assistir este vídeo da Marina Smith no repeat (confesso que fiquei emocionada quando vi pela primeira vez)

E aí, mais alguma dica? Deixe nos comentários, vou adorar ler.

Quem vai estar acordada às 6 horas da manhã do dia 25 com a Netflix aberta? o/

Meus canais de culinária favoritos #1

Quem me conhece sabe que adoro cozinhar, e muitas novas ideias surgem a partir de vídeos do YouTube. Sinceramente, acompanho vários. E o que mais me chama atenção é a técnica mostrada.

Porque meu bem, ou você tem técnica, ou não tem.

E olha que já me desinscrevi  de canais pelo excesso de pretenção que eles apresentavam. Explico. Já teve cara que se dizia chef e cometia os erros mais noobs possíveis, como dizer que tudo bem misturar fermento químico no início da receita, com os líquidos, sendo que o ”pó royal” precisa de líquido e calor pra funcionar. Enfim.

Gosto de técnica, mas também gosto do freestyle. Se você sabe, estudou pra isso, pode botar banca, mas se não, não banque o sabe tudo, quando você não sabe, e admita que você faz pelo simples prazer de cozinhar.

Ficou bem confuso, eu sei. Mas basicamente, quer compartilhar algo que é base pra outras, você tem de realmente saber fazer e ter segurança, e não falar besteira. Mas você também pode curtir fazer receitas e truques pro dia a dia.

Por isso hoje vou mostrar quatro canais que eu adoro, e que é só sair um vídeo novo que eu vou logo assistir.

Projeto Banquete

O Leonardo e a Mariana são formados em gastronomia e tem esse sotaque lindo de Porto Alegre! O nome banquete é fantástico, porque além de emblemático sugere que os vídeos acontecem em temporadas. Aproximadamente todo mês tem um banquete novo. Uma série de pratos feitos com alguma proposta. Nesse mês é o “Banquete do Fogo”, onde eles resgatam a primeira forma de cozinhar do ser humano. Mas já teve o “Banquete das Massas”, “Banquete dos Bolos” no mês de aniversário do canal, “Banquete dos Pães”… Enfim, receitas lindas e não tão complexas, mas nem tão fáceis, é pra compartilhar o momento com os amigos e família.

Gosto muito do uso de técnicas, bem explicadas. A partir das técnicas você pode inventar mil coisas. A base que tem de ser bem explicada.

Esse é um dos meus banquetes favoritos, “Banquete da Casa”.

 

Confissões de uma Doceira Amadora

Marina é de Curitiba. Se formou na faculdade, começou a trabalhar, mas viu que queria algo a mais. Então ela foi pra NY estudar confeitaria por lá. Os doces dela não são amadores como sugere o nome do canal. Por ter descendência italiana, alemã e grega sempre tem uma receita de família que agrada a todos.

A pouco tempo ela foi visitar a avó na Grécia e gravou algumas receitas por lá. E sério, eu quero muito fazê-las aqui em casa. E sim, você pode demorar uns 10 minutos pra conseguir falar o nome dos doces – que sempre levam uma calda com especiarias – e que ficam lindos!

E claro, Nutella. Porque Nutella é vida!

 

Danielle Noce (I Could Kill For Dessert)

O nome do canal é quase um lema de vida. Principalmente no meu caso que prefiro a sobremesa ao prato principal.

No começo dos vídeos a receita podia não dar muito certo, mas a animação compensava. A Dani resolveu aprimorar seus conhecimentos e foi pra Paris estudar na Lenôtre, uma das melhores escolas de confeitaria da França.

Desse tempo pra cá as receitas foram evoluindo e sempre há técnica, que como já disse é o que eu mais gosto, sem perder a simpatia e a animação.

Dani e Paulo com toda certeza formam a dupla mais chocolatuda da vida!

 

Rolê Gourmet

O Rolê Gourmet provavelmente foi o primeiro canal de culinária que eu me inscrevi.

Dos canais que já falei, provavelmente é o mais free style. O canal surgiu duma ideia do PC em gravar as reuniões que já rolavam, onde o Otávio cozinhava, eles bebiam e tals. A ideia deu tão certo que hoje eles são um dos maiores canais de culinária do Brasil com quase 900k de inscritos.

Mesmo anunciando o fim do projeto ano passado, a galera queria mais #voltarolegourmet. Tanto que eles voltaram. O formato é básico: três vídeos por semana, duas receitas e o “Um Brinde”, vídeo com os bastidores da gravação.

A receita abaixo é do chocookie, eu já fiz aqui.

 

Eu assisto muito mais canais, qualquer dia falo de mais alguns que eu gosto, ok?